as milenares raízes da lavagem nasal

as milenares raízes da lavagem nasal

A lavagem nasal pode ser um conceito ainda estranho aos brasileiros, mas sua história já possui milhares de anos. A prática se originou na Índia e no Sudeste Asiático, onde o Jala Neti, que significa “limpeza com a água” sempre foi utilizado como uma disciplina da yoga, desempenhando um papel fundamental na higiene física e espiritual dos seus praticantes.

Nessas culturas milenares, a lavagem é realizada diariamente e a prática é tão comum quanto escovar os dentes. Diferentemente dos ocidentais, que fazem a lavagem de forma superficial com descongestionantes, seringas e até com a mão, os indianos compreenderam há séculos que a eficácia da lavagem estava na limpeza completa dos seios da face e, por isso, criaram os “neti pots” (nome genérico para os lavadores nasais).

Embora os praticantes de yoga já se beneficiem há décadas das vantagens da lavagem nasal, a sua difusão pelos países do Ocidente só se deu na década de 90, quando empresas americanas resolveram difundir o método para toda sociedade e empregaram tecnologia para impulsionar a sabedoria oriental, criando os modernos, mais práticos e resistentes “neti pots” construídos em plástico.

O argumento de que a prática não deveria ficar restrita à yoga, mas divulgada para todos que lidam com problemas nasais rapidamente surtiu efeito, motivando pesquisadores a desenvolverem estudos que relatassem os efeitos da lavagem sobre a saúde nasal do praticante.

Os resultados excepcionais ajudaram na popularização do método, que hoje é realizado por milhões de americanos e começa se espalhar pelo mundo como uma prática de higiene segura e eficaz para a prevenção e tratamento de diferentes males respiratórios.

Clique aqui para ler uma matéria sobre a popularização da lavagem nasal nos EUA.